Eduardo Schenberg

Mestre em psicofarmacologia (UNIFESP) doutor em neurociências (USP) com pós-doutorado no Imperial College London. Estuda e pesquisa substâncias psicodélicas como MDMA, ayahuasca, ibogaína e LSD.

Trilhou sólida trajetória acadêmica na interface entre psicologia, psiquiatria e neurociências. Se formou em biomedicina e fez Mestrado em psicofarmacologia na UNIFESP e concluiu Doutorado em neurociências na USP. Após pesquisa premiada de pós-doutorado na UNIFESP e no Imperial College London, começou a empreender para desenvolver novos tratamentos psiquiátricos. Durante os estudos de graduação, mestrado, doutorado e pesquisas de pós-doutorado se especializou na temática das drogas psicoativas e seus mais variados efeitos - tanto nocivos quanto terapêuticos - com foco nas substâncias psicodélicas (ayahuasca, LSD, ibogaína, MDMA e psilocibina, entre outras). Fez estudos sobre as ondas cerebrais durante efeito da ayahuasca e sobre uso de ibogaína por pacientes dependentes químicos em busca de cura. Desde então vem desvendando as bases dos efeitos dessas substâncias na consciência humana e também alguns de seus promissores potenciais terapêuticos para transtorno de estresse pós-traumático, depressão e dependência química, entre outros. Em 2018 publicou artigo científico sobre o tema na Frontiers in Pharmacology, que conta com mais de 65 mil visualizações. Coordenou o primeiro estudo Brasileiro com uso terapêutico do MDMA em sessões de psicoterapia para tratamento de casos graves de transtorno de estresse pós-traumático, publicado em 2020 na Revista Brasileira de Psiquiatria e noticiado na Folha de São Paulo, BBC Brasil e Marie Claire. Tem parceria com o Povo Huni Kui do Acre para realizar o primeiro estudo científico de ayahuasca com uma população indígena na Amazônia. Foi homenageado no Trip Transformadores 2019, deu inúmeras entrevistas na imprensa e tem cursos online com mais de dez mil alunos. É fundador e Diretor-Presidente do Instituto Phaneros, instituição sem fins lucrativos pioneira no Brasil ao desenvolver a Psicoterapia Assistida por Psicodélicos (PAP) e focar na educação de profissionais de saúde, já contando mais de 400 alunos matriculados.

19h30

Sexta 27 NOV

A ciência da ayahuasca e os direitos indígenas